• Jumby na língua indígena significa espírito, fantasma, ou apenas o outro, o desconhecido.

  • Baía dos Territórios Movediços I | 85 x 70 cm | Monotipia, grafite e pigmento metálico s/ papel | 2018

  • Baía dos Territórios Movediços II | 85 x 70 cm | Monotipia, grafite e pigmento metálico s/ papel | 2018

  • Baía dos Territórios Movediços III | 85 x 70 cm | Monotipia, grafite e pigmento metálico s/ papel | 2018

  • Baía dos Territórios Movediços VI | 85 x 70 cm | Monotipia, grafite e pigmento metálico s/ papel | 2018

  • Baía dos Territórios Movediços V | 85 x 70 cm | Monotipia, grafite e pigmento metálico s/ papel | 2018

  • Baía dos Territórios Movediços VI | 85 x 70 cm | Monotipia, grafite e pigmento metálico s/ papel | 2018

  • A série “Baía dos territórios móveis” é um trabalho comissionado para a ilha Jumby Bay, em Antígua e Barbuda. Nessas obras os mapas foram produzidos a partir do fluxo do pigmento diluído sobre o papel. As linhas aleatórias tentam advertir que a cartografia (ou compartimentações conceituais) implodiu no movimento. Nas imagens estão escritos os nomes dos povos que habitam e habitaram a região. A ideia que move a produção dos trabalhos é contestar a ideia de território como uma coisa substantiva e sim apresentá-la como processo que ocorre nas relações entre sujeitos e ambiente.